Destaques

  • 19 de julho de 2016

    PUTAS DEI, projeto sobre feninismos será desenvolvido por Luciana Lyra no PROGRAMA ARTISTA RESIDENTE da UNICAMP

    Entre agosto e dezembro de 2016, a atriz, performer, dramaturga, escritora e encenadora Luciana Lyra, estará na UNICAMP participando do PROGRAMA DO ARTISTA RESIDENTE, promovido pelo Instituto de Artes desta Universidade. Lyra desenvolverá uma experiência de pesquisa, criação e montagem junto a alunos e alunas de graduação e pós-graduação em Artes da Cena, estendido a demais artistas interessados na proposta. A experiência dará continuidade às investigações da artista acerca do feminino e dos feminismos e será realizada por meio das práticas da Mitodologia em Arte e da Artetnografia, desenvolvidas em suas investigações de Mestrado e Doutorado em Artes da Cena (IA/UNICAMP), Pós doutorados em Antropologia (FFLCH/USP) e Artes Cênicas (DEART/UFRN). A Mitodologia em Arte é um complexo de criação cênica, que utiliza como aportes aspectos da Antropologia da Experiência, estudada pelo antropólogo Victor Turner e da Antropologia do Imaginário, do sociólogo Gilbert Durand. Este complexo lida com forças pessoais que movem o atuante na relação consigo mesmo e com a alteridade, em retroalimentação, procurando dar vazão a um Teatro das Profundidades, que atinge camadas da psique pessoal e coletiva, na percepção inequívoca das margens sociais. A Mitodologia em Arte está intrinsecamente ligada à prática da Artetnografia, que se configura como prática realizada por artistas cênicos ao se deslocarem a contextos de outridade, para que nesta interação polifônica e subjetiva possam fomentar a criação da cena performática, numa atuação dita f(r)iccional. O projeto do Artista Residente capitaneado por Lyra, pretende justamente experimentar os procedimentos da Mitodologia em Arte, desembocando em nova experiência de construção cênica relacionada às questões do feminino e dos feminismos, agora tendo como mito-guia o arquétipo da Prostituta e todas as narrativas míticas a ele atreladas, suscitando questionamentos urgentes e atuais como: o machismo, os feminismos, a ditadura da beleza, a violência doméstica, o silenciamento, o feminicídio, o aborto, o estupro. A performance a ser instaurada pelo projeto, preliminarmente intitulada PUTAS DEI transitará entre os arquétipos das prostitutas sagradas, deusas do amor e da paixão, como Inana (Sumária), Istar (Babilônia), Isis (Egito), Afrodite (Grécia), Vênus (Roma), Oxum (mitologia africana), e as prostitutas profanas, suas sombras.

    MAIORES INFORMAÇÕES:

    http://www.iar.unicamp.br/evento/putas-dei

     

<< Voltar